Anti Plágio

...

sexta-feira, 20 de março de 2009

Não somos daqui!


Eu sou o cão pedindo liberdade.

Eu sou azedo, doce... Eu sou...
sou um animal preso em um laboratório, sou uma experiência.

Sou quem se questiona o tempo todo.

Será que essa água que bebo é realmente isso?
Será que essa comida tem realmente este gosto?

Quem sou quem são vocês?

Eu nasci em algum dia, não digo essa roupagem idiota e fraca que visto.

papeis são limitações para mim, o que se está no papel não é nada do que se é realmente.

Esse som, esse zumbido, essa voz, esse olhar, você acredita ser real?

Esse calor, esse frio...

Pra mim tanto faz, pois tudo se fez sem eu nada querer...

Ah, acredito que se eu quis realmente algo um dia, com certeza o que eu escolhi me levou ao lugar onde estou este lugar bobo, mal evoluido, com pessoas que só acreditam no que lhes são apresentados.

Eu acredito em algo, algo que não sei o que é.
Sei que existe algo, sei que existe.

As cores naturais que eu conheci são: Preto e Branco.

Fecho os ólhos e só vejo escuridão, ou quem sabe um clarão?

O mundo real é preto ou branco?

O clarão que é real ou a Escuridão?

Eu vivo em um lugar chamado “Planeta Terra” (É o que dizem)
Logo se tem o espaço sideral, que dizem ser “infinito”

Pra mim infinito é falta de conhecimento.

Alias, eu não tenho conhecimento. Mas me pergunto se no caso se houvesse um tamanho para essa grande escuridão. Formato: Quadrado, redondo, seja lá o que for. O que sem tem por fora de tudo isso?

Alguém consegue imaginar?

Será o real?

Ao você pegar algo você está realmente tocando?


Sou um ser angustiado, sou um ser que pede liberdade.

Me solte! Deixe-me sair!

Sinto-me muito limitado nesta roupagem, minha mente não é nada.

Ela não é nem um pouco do que poderia ser.

A mente de todos estão limitadas, seja do homem mais culto. Ele nunca será o que poderia ser.

Nós, que vivemos aqui, nem sei qual é nossa espécie, não temos limites fora desta roupagem fraca e limitada.

Eu não acredito em limitação, nem para o homem, nem para o que se há por ai.

Qual é a sua opinião?




Jonathan Villaça.

4 comentários:

Ingrid disse...

A limitaçao está na cabeça de cada um...
se voce pensa logo existe!

[link]http://marca-de-batom.blogspot.com/[/link]

Iasmin Cavalcanti disse...

cara, adorei o texto!
eu fiz um texto ontem que fala mais ou menos sobre isso, sobre a realidade que só nós enchergamos e que é diferente do que os outro veem.
enfim, acho que tem a ver cos esta historia de "as coisas são como vemos?".
de uma olhada lá: "REALIDADDE, POR QUE MENTES PARA MIM?"
http://desnecessarioporemvalido.blogspot.com/

beijos. Parabéns mesmo.

Cáah disse...

gostei do texto, quiçá do blog...
hehe, o visual dele é bem legal,
charmoso!!
:)

visite nos quando quiser:
http://nadadelicada.blogspot.com/

Diomar disse...

Nossa! esse texto é realmente uma icógnita, muito legal, a gente pensa: o que ele quer dizer c/isso? e aí vê que vc disse tudo,que o objetivo era fazer pensar mesmo.

parabéns