Anti Plágio

...

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Aquilo que vicia


Azul e amarelo
Seu lindo sorriso

Seu gosto me consome
Seu olhar já me diz

Amor, amor
Querida não queira ser o que não és

Ah, queria eu no fim da rua poder ainda ser o seu plano,
do inicio ao fim.

Chegaste a minha vida, mas que se vai assim tão breve

Sabendo que tudo que se vai é para que o novo venha

Sendo o novo não me atraindo

Minha vela, minha santa.

Meu vicio e adoração.

Meu bem.

Jonathan Villaça


5 comentários:

Felipe disse...

É extremamente ruim quando se está com uma pessoa que tenta ser outra só para te agradar. Ótimo poema!

http://cerebro-musical.blogspot.com

FabioZen disse...

A sinceridade é tudo na relação!!

Pobre esponja disse...

Azul e Amarelo é uma canção do Cazuza que amo: " Senhores Deuse me protejam de tanta mágoa"

aBç
Pobre Esponja

Nocivo disse...

Deceto tua lira está destoante da minha em muitos caminhos. Contudo, há bastante verdade em sua fórmula poética, não no sentido de realidade, mas de comprometimento do autor com sua obra. Bom trabalho!

Branca disse...

"Tudo que se vai é para que o novo venha" Muito lindo e muito verdadeiro!!!

Lindo poema!!

Bjos