Anti Plágio

...

domingo, 18 de outubro de 2009

O Fantasma do fim da rua


Tem ratos na cozinha
Baratas no quarto
Pessoas lá fora me confundem com o fantasma da casa do fim da rua

Eram casas estranhas em um lugar confuso, eu tentava me encontrar,
Eu juro

Entrei por todas as portas, havia um parque abandonado e um cão dormindo

Flores caiam das arvores e eu me encontrava em circulo estranho, uma grade no final
A portaria era tão estranha e uma mulher me perguntava onde estavam às horas e meu relógio estava paralisado

É tão estranho isso aqui!

O sol era forte e lugar era lindo e confuso

Eu não sabia que um lugar com cores verdes e vermelhas poderiam me trazer desse jeito aqui! Mas as pessoas não entendem, o mundo era uma flor que brotava e quem não a regasse poderia também sofrer...

A vida era visível, mas toda essa fumaça agora me escapa a visão e eu não consigo entender as pessoas que aqui vivem.
Elas querem a morte!?

Por favor, perceba como as coisas são tão belas, não as abandone, não as abandone

As flores no jardim me lembram a pureza real

A liberdade ainda pode surgir...
Não foi eu quem quis assim, mas eles as fizeram mal e agora aqui estou assim
Dependente de tubos e maquinas que me mantém vivo


Jonathan Villaça

4 comentários:

Bruna Cabral disse...

Texto magníico, parabéns.

São talentos como o seu que deveriam ser encontrados nas livrarias, e não auto ajuda indecente.

Parabéns!

Beijão

www.oquevocequerserquandocrescer.blogspot.com

scriptmanent disse...

Se vc colocar uma musica com certeza vira sucesso!!!

Cada dia melhor!!


bjoooo

Asas Negras disse...

concordo plenamente com a bruna!
vc é excelent!
seu blog ta tdb!!!!

Blogueira disse...

Muito bom!Divulga mais o blog!Você escreve tão bem!